Piso vinílico: um guia para escolher e acertar na instalação

Compartilhe:

Imagem: Depositphotos

Busca um piso para o seu projeto que não seja frio como porcelanatos, mármores e cerâmicas? Existem várias alternativas no mercado, e uma com bom custo-benefício é o piso vinílico. Sua matéria-prima principal é o PVC, disponível no mercado no formato de manta, réguas e placas.

O tipo mais usado em obras residenciais é o piso vinílico em formato de régua, cuja estética é mais parecida com a da madeira e permite diversas aplicações e paginações diferentes como a escama de peixe, por exemplo.

Esse tipo de produto tem um aspecto emborrachado e um visual bem parecido com os pisos de madeira. Algumas empresas também investem em acabamentos tecnológicos, caso da Tarkett, por exemplo, que possui uma tecnologia chamada Extreme Protection que facilita a limpeza e tem mais resistência aos raios UV.

E é sempre importante alinhar as necessidades do projeto e estilo de vida do cliente com a escolha do produto. Vou citar alguns pontos importantes que são necessários para você saber especificar o piso vinílico de maneira correta:

Conforto acústico
Por ser emborrachado, o piso vinílico absorve o som das pisadas. Isso é uma vantagem para quem mora em apartamento, tem crianças, pois não fica o “toc toc” que acaba incomodando as pessoas que moram por perto.

Temperatura agradável
Ele é considerado um piso térmico, que é quando o produto não varia de acordo com a temperatura do exterior. Mesmo em dias muito quentes ou frios, o piso vinílico fica estável e confortável para pisar. Para quem ama andar descalço ou tem crianças que engatinham e brincam pelo chão, vale investir.

Ambientes que podem ser instalados
O piso vinílico pode ser instalado em ambientes comerciais. Só é importante observar a categoria específica para esse tipo do projeto, pois requer mais resistência a tráfego pesado.

Já em ambientes residenciais é possível usar em quartos, salas, lavabos, halls e até na cozinha. Esse tipo de produto não pode ficar imerso na água. Mas uma lavagem simples e com pouca água é permitida. Agora se você costuma lavar a cozinha com muita água, prefira o porcelanato.

Instalação do piso vinílico
A espessura do piso vinílico varia de 2 a 3 mm. Para ter um resultado satisfatório na instalação é importante que o contrapiso esteja nivelado. Caso aplique o piso sem essa regularização será possível ver as imperfeições e o resultado não será bom!

Por isso é importante investir em mão de obra especializada e também analisar se não há pisos com espessuras diferentes no mesmo plano. Assim, não ficará nenhum “dente” que possa causar tropeços. Enquanto um vinílico é extremamente fino, um porcelanato ou pedra natural são mais espessos.

Piso sobre piso
É possível aplicar o vinílico sobre outro piso existente como porcelanatos e pedras naturais como mármores e granitos. Mas esse piso precisa estar nivelado, sem desplacamento e problemas de infiltrações.

É importante solicitar uma vistoria a uma empresa de mão de obra especializada que vai fazer a instalação do produto. Por serem mais experientes eles vão conseguir analisar se vai ser possível a aplicação e fazer um orçamento mais adequado para esse tipo de serviço.

Variedade de texturas
Existem tipos de piso vinílico em réguas que são bem texturizados. E essa característica para quem tem pets em casa é bem relevante pois permite que o bicho consiga brincar sem derrapar.

E caso ocorra do cachorro ou gato fazer xixi esse tipo de piso não estufa e tem resistência às manchas. Para fazer uma limpeza é só passar um pano com água e detergente neutro.

Tipos de piso vinílicos em réguas
Existem dois tipos: os colados e os clicados. Os clicados são uma excelente opção para casas alugadas e obras comerciais, pois a instalação é mais rápida e podem ser removidos com mais facilidade e aplicados em outro lugar. Ele tem 4 mm de espessura.

Os colados são mais baratos e mostram mais a irregularidade do contrapiso caso esteja desnivelado. Existem mais opções de modelos, cores diferentes e possibilidades de fazer paginações criativas, misturando diversos padrões e tons.

Fonte: Casa Vogue, escrita por Lilian Santos