Piso vinílico ou laminado: qual escolher?

Compartilhe:

Imagem: Depositphotos

O piso de uma casa faz muita diferença, não só para o estilo de decoração do ambiente: ele influencia na temperatura e no trabalho de manutenção. Duas opções que fazem sucesso entre os brasileiros são o piso laminado e o vinílico. Ao escolher um ou outro deve-se considerar fatores como durabilidade, necessidade de manutenção, estética e o ambiente em que será instalado.

O piso laminado é feito com HDF, painel de madeira de alta densidade. A parte superior recebe a estampa que dá o visual de piso e o material vem em réguas. Já o vinílico é produzido com materiais à base de PVC (policloreto de vinila). Na camada superior também apresenta uma estampa decorativa e pode vir em réguas ou placas.

Tanto o piso laminado como o vinílico são ideais para utilização em ambientes internos e são muito fáceis de limpar. Além disso, podem ser sobrepostos a outros pisos específicos. O laminado, por exemplo, pode ser colocado sobre o piso cerâmico e até mesmo a madeira, se esta estiver em bom estado. Outra vantagem do piso laminado é que ele ajuda a manter a temperatura do ambiente. Além disso, é de fácil instalação, uma vez que no dia seguinte à aplicação já pode ser usado. E quem tiver de se mudar do imóvel pode desmontar o piso e instalá-lo em outro ambiente.

O piso vinílico também é  interessante se a proposta é conservar a temperatura dos ambientes e abafar sons, como passos no assoalho. O revestimento é antialérgico e dificilmente mancha. Assim como os laminados, os vinílicos não devem ser aplicados em banheiros e cozinhas. Para limpar, um pano úmido resolve.

Desgaste
Ambos também apresentam desvantagens. O vinílico, por exemplo, risca se a abrasão for grande, como uma geladeira sendo movida. A exposição solar direta também faz a cor desbotar. Além disso, esse tipo de revestimento não suporta água, por isso evite utilizá-lo em áreas inundáveis, como ambientes externos, banheiros e cozinhas. A desvantagem do laminado é que ele propaga sons facilmente. Por isso, para evitar o barulho de sapato, é preciso cobrir o contrapiso com uma manta acústica. Para os  animais de estimação, a vida não vai ficar fácil com o piso laminado, pois vai fazer os pets deslizarem com mais frequência.

Outra desvantagem é que devido ao seu miolo de madeira o material não é resistente à água, portanto a limpeza deve ser feita com aspirador de pó, vassoura de cerdas macias e pano úmido. E, para não arranhar, é recomendável instalar feltro nos pés dos móveis e usar rodízios de polietileno.

Instalação
 A instalação do piso laminado pode ser feita com cola especial ou simplesmente encaixado. É necessário um contrapiso seco, limpo e nivelado e aceita variações de até 3mm a cada 1,5m. É possível instalá-lo sobre pedra, concreto e cerâmica, desde que a superfície tenha uma manta regularizadora (feita de polietileno).

Outro detalhe é deixar um espaço de dilatação entre as bordas e a parede. Já os pisos vinílicos só ficam bem colocados se instalados em um contrapiso seco e rigorosamente nivelado. Caso a superfície não esteja nessas condições, é possível aplicar uma massa niveladora composta por cola e cimento para criar a superfície ideal para a instalação. Um instalador especializado poderá avaliar a real necessidade de nivelamento.

Como limpar
No piso laminado, comece a limpeza usando aspirador de pó ou vassoura de cerdas suaves, sempre no sentido das réguas, com cuidado para não raspar a superfície. Em seguida, passe um pano úmido com sabão neutro (lembre de torcer bem). Manchas exigem detergente e álcool. Tinta, verniz e graxa saem com querosene, tíner ou aguarrás.

Para limpar o piso vinílico, basta varrer com uma vassoura de pelo ou passar um rodo com pano umedecido. As escovas podem deixar marcas permanentes e prejudicar o visual do piso. Caso queira deixá-lo mais brilhante, procure ceras desenvolvidas especificamente para o vinílico.

Fonte: Diário do Nordeste